tela

EVENTOS EM DESTAQUE

RICARDO PINTO QUINTETO

SÁBADO | 4 DE NOVEMBRO 2017 - 00H30

TRIO KILÔCO

SÁBADO | 11 DE NOVEMBRO 2017 - 00H00

OS IMPROVÁVEIS

SÁBADO | 11 DE NOVEMBRO - SEXTA | 24 DE NOVEMBRO 2017 - 23H30

DIEGO EL GAVI "BAILE FLAMENCO"

QUINTA | 16 DE NOVEMBRO 2017 - 22H30

MARCO OLIVEIRA

QUARTA | 15 DE NOVEMBRO 2017 - 22H30

CANTO E CORDA (BR)

SEXTA | 17 DE NOVEMBRO 2017 - 23H30

SEBASTIÃO ANTUNES

SEXTA | 17 DE NOVEMBRO 2017 - 23H00

HAVANA WAY TRIO

SEXTA  | 17 DE NOVEMBRO 2017 - 00H30

NICOLE EITNER

SÁBADO | 18 DE OUTUBRO 2017 - 22H30

ORIGINAL BANDALHEIRA

SÁBADO | 18 DE NOVEMBRO 2017 - 00H00

STAND UP PHILOSOPHY com NUNO NABAIS

SEXTA | 24 DE NOVEMBRO 2017 - 22H00

ALBERTO CONDE

SEXTA | 24 DE NOVEMBRO 2017 - 22H30

EXPENSIVE QUARTET

SÁBADO | 25 DE NOVEMBRO 2017 - 22H30

ADUFE EM LISBOA

SÁBADO | 25 DE NOVEMBRO 2017 - 00H00

BOSSA & MORNA

SÁBADO | 25 DE NOVEMBRO 2017 - 00H30

OS NOSSOS RESIDENTES

JÚLIO RESENDE E CONVIDADOS

TODAS AS SEXTAS DE OUTUBRO 2017 - 22H30

PROJECTO BUG

PRIMEIRA SEXTA DO MÊS | 00H00

TÉRCIO BORGES E OS DEMOCRATAS DO SAMBA

1º SÁBADO DO MÊS - 00H00

EXPOSIÇÕES EM INAUGURAÇÃO

VI MOSTRA DE ARTISTAS ARGENTINOS EM PORTUGAL

INAUGURAÇÃO | 30 DE NOVEMBRO 2017 - 19H00

Sala Michel Foucault

+++
GENTE DE PALAVRAS - Retratos Manuscritos por Daniel Dias

INAUGURAÇÃO | 9 DE NOVEMBRO 2017 - 19H00

Sala Eduardo Prado Coelho

+++
SER ANIMAL de Patrícia Vilela

INAUGURAÇÃO | 9 DE NOVEMBRO 2017 - 19H00

Sala Michel Foucault

+++
WOOD AND PAPPER WORKS de Sebastião Castelo Lopes

INAUGURAÇÃO |  7 DE DEZEMBRO 2017 - 19H00

Sala Arendt

+++

O QUE HÁ DE NOVO NA LIVRARIA

LISBOA NA LIVRARIA

livros sobre lisboa

De autoria de Marina Tavares Dias apresentamos diversos livros que versam sobre a história de Lisboa.
Disponíveis na Livraria da Fábrica Braço de Prata

 

SEXTAS E SÁBADOS | 7, 8, 14 e 15 de JULHO - 22h00

IMG 0344Aparições é una performance audiovisual, faz presente a ausência. Pode um corpo estar presente e ausente ao mesmo tempo? Transcender o tempo e o espaço? 

Aparições pretende encarnar um corpo despojado que aloje todos os corpos silenciados, focando-se nos corpos feitos desaparecer pela última ditadura militar argentina. 

O meu corpo como consequência do que está, desaparece e volta a aparecer. Um resíduo de história. Ser evidência. Ser passado, presente e futuro. A ficção como homenagem. Quase um ritual: memória viva. 

Joomla! Hosting from